Ônibus coletivos de BH terão botão do pânico para denunciar importunação sexual

A utilização do botão do pânico para denunciar a importunação sexual sofrida por passageiras de ônibus ou do metrô foi o destaque da reunião de alinhamento realizada pelas agentes femininas da Guarda Municipal de Belo Horizonte que compõem o Grupo contra o Assédio Sexual a Mulheres no Transporte Público com as parceiras da BHTrans e da CBTU, na manhã desta segunda-feira, dia 22, no Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte.

O botão do pânico deverá ser acionado pelo motorista do coletivo, emitindo um alerta que será captado, simultaneamente, pela Transfácil (consórcio das empresas de ônibus), pela coordenação do COP-BH e pelo representante da BHTrans que atua no Centro de Operações. Caberá à BHTrans informar a localização exata do veículo onde ocorreu o assédio sexual. A Guarda Municipal irá interceptar o coletivo e tomar as providências necessárias para o encaminhamento do acusado à delegacia da Polícia Civil, para que seja autuado em flagrante.

O equipamento já existia nos ônibus que circulam na capital e precisou ser adaptado, já que no botão constavam apenas as opções: assalto e incêndio. Com a inserção do crime de importunação sexual, motoristas e cobradores passarão por um treinamento, que terá início nesta quarta-feira, dia 24, para saberem como agir no caso específico do assédio.

Multiplicadores

Após o treinamento de motoristas e trocadores, as agentes da Guarda Municipal irão oferecer o curso de capacitação também a servidores da CBTU. O objetivo é que tanto os trabalhadores do transporte por ônibus, quanto do metrô, após passarem pelo curso, atuem como multiplicadores junto aos colegas, para que todos estejam aptos a auxiliar as mulheres que sofrerem assédio sexual no transporte público.

O passo seguinte será a realização de uma campanha educativa voltada diretamente para a população, com a distribuição de apitos e folhetos que orientarão as mulheres a se defenderem da importunação sexual, enumerando atitudes que configuram o crime e, incentivando-as a denunciar os abusadores.

Três agentes femininas da BHtrans e outras quatro agentes de segurança ferroviárias participaram da reunião no COP. O secretário municipal de Segurança e Prevenção, Genilson Zeferino, além de coordenadores da CBTU, também estiveram presentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here